11/12/2016 às 21:05:00

Asfixia pode ter causado a morte de médica e do filho de 2 anos na Capital

Redação

A médica Valquíria Feitosa Patrício Gomes, 31 anos, e o filho de dois anos, achados mortos na noite de ontem (10), foram encontrados por familiares, no bairro Itanhangá, após o marido que estava em viagem desconfiar do sumiço da esposa e do filho. Os corpos estavam em uma cama, e ao lado havia uma bacia de carvão. O caso foi registrado na Polícia Civil como suicídio e homicídio simples.

Conforme consta no boletim de ocorrência, o marido tentou falar com a mulher no decorrer do sábado, mas sem retorno, monitorou a residência em que morava com a família por meio da câmera de segurança. Ele teria notado que o carro da mulher estava na garagem, e então pediu a parentes para que fossem até a casa para descobrir o que havia de errado.

Familiares encontraram a médica deitada na cama, abraçada ao filho, e com os olhos e os ouvidos tampados. O quarto onde as vítimas foram localizadas estava totalmente fechado e com o ar condicionado ligado, e o cheiro de queimado era intenso.

Ao lado da cama estava uma bacia com carvão e uma embalagem com uma tarja de cuidado: monóxido de carbono, daí a ideia de que morreram por asfixia.

Em outro cômodo da residência, a polícia encontrou um celular sobre uma carta escrita por Valquíria, mas o conteúdo não foi divulgado.

Em depoimento, um parente da médica informou que ela estava afastada do atendimento na Unidade do Bairro Tarumã, onde trabalhava desde 2014, por depressão aguda, mas que estava em tratamento.

O velório será realizado no Cemitério das Palmeiras, na avenida Tamandaré, a partir das 14 horas. Inicialmente, a polícia investiga o caso como suicídio.

 

midiamax

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado