19/07/2018 às 19:12:00

Doutor Bumbum: parentes contam como foram as últimas horas de bancária que morreu após procedimento estético

Redação
Lilian Calixto e o marido Osmar Jamberci.Direito de imagemARQUIVO PESSOAL/FACEBOOK
Image captionLilian Calixto gostava muito de viajar com o marido, o empresário Osmar Jamberci, com quem estava há 19 anos

A gerente de banco Lilian Calixto, de 46 anos, viajou de Cuiabá (MT) para o Rio de Janeiro, na manhã do último sábado, 14, para fazer intervenções estéticas que planejava há quatro meses. Antes de embarcar, ela disse à família que passaria por um procedimento sem grandes complicações, que duraria no máximo 1h30, e retornaria na noite do mesmo dia para a capital mato-grossense.

Mas ela não contou aos parentes que faria um implante nos glúteos.

O responsável pelos procedimentos foi um médico que ela acompanhava nas redes sociais havia seis meses: Denis César Barros Furtado, conhecido como "Doutor Bumbum". Furtado possuía mais de 600 mil seguidores no Instagram - ele deletou a conta na terça-feira, 17. Em seu perfil, propagava resultados de intervenções que inspiraram a bancária a procurá-lo.

Lilian marcou as intervenções com o "Doutor Bumbum" por meio do WhatsApp. Familiares acreditam que ela tenha encaminhado fotos para que ele fizesse uma avaliação e um orçamento dos procedimentos. A bancária queria colocar um chip que funcionaria como implante hormonal, em razão da menopausa, e também aplicar PMMA (polimetilmetacrilato) nos glúteos.

Parentes dela acreditam que Furtado tenha cobrado R$ 20 mil pelos procedimentos e afirmam não saber se ela pagou o valor integral antes das intervenções.

Os procedimentos estéticos de Lilian estavam agendados para serem feitos em Brasília, onde o médico afirma possuir uma clínica. Porém, na última sexta-feira, 13, Furtado informou à paciente que as intervenções somente poderiam ser feitas no Rio de Janeiro.

Antes de viajar, Lilian informou à família apenas que faria a implantação do chip para controle hormonal. Uma amiga sabia que ela também passaria pela aplicação do PMMA. Os parentes da bancária descobriram a segunda intervenção somente quando souberam de sua morte.

Denis Furtado de jaleco com seu nomeDireito de imagemREPRODUÇÃO INSTAGRAM
Image captionDenis Furtado, conhecido como 'Doutor Bumbum', teve cassado seu registro profissional em Brasília

A aplicação do PMMA, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), não é indicada nos glúteos. "É um produto sintético que, muito embora autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, não é recomendado pela SBCP, sobretudo em áreas com grande volume e em planos anatômicos profundos, como os glúteos", afirma Denis Calazans, secretário-geral da entidade.

A bancária morreu na madrugada do domingo, 15, horas após passar pelos procedimentos estéticos. A suspeita é de que a aplicação do PMMA tenha sido feita de modo excessivo e ocasionou uma embolia pulmonar, quando artérias dos pulmões são obstruídas por coágulos.

Vaidosa e apaixonada pela família

Lilian CalixtoDireito de imagemFACEBOOK
Image captionMãe de dois filhos, uma garota de 13 anos e um jovem de 24, ela era classificada como a líder da família

Conhecidos consideravam Lilian uma mulher segura e independente. Mãe de dois filhos, uma garota de 13 anos e um jovem de 24, ela era classificada como a líder da família. Ela gostava muito de viajar com o marido, o empresário Osmar Jamberci, com quem estava há 19 anos.

"Ela era muito especial para a gente. Perdi a coisa mais importante da minha vida. Ela era tudo para mim", disse à BBC News Brasil Victor Calixto, filho do primeiro relacionamento dela.

Enteado de Lilian, Alessandro Jamberci afirma que a madrasta costumava atrair a simpatia das pessoas em todos os lugares que frequentava. "Ela sempre foi muito bem-quista por todos. Além disso, a Lilian foi uma supermulher para o meu pai."

Vaidosa, a bancária costumava se preocupar com dietas e era adepta de exercícios físicos. "A minha mãe era muito saudável. Tinha uma saúde excelente. Não tinha doença, não tinha nada", declara Victor.

'Não sabia dos riscos'

Duas semanas antes de embarcar para o Rio de Janeiro, Lilian ouviu relatos positivos de uma amiga que havia aplicado PMMA com o "Doutor Bumbum". Outras colegas dela também haviam feito, anteriormente, a intervenção com o médico e o elogiavam. Nas redes sociais, Furtado afirma ter feito mais de cinco mil bioplastias, intervenções à base de injeções para remodelar o corpo.

Para Victor, a mãe não pensava que o procedimento pudesse trazer graves consequências. "Acredito que ela não entendia os riscos, porque sempre teve medo. Se fosse uma coisa mais perigosa, com certeza não faria."

Logo que chegou à capital fluminense, na tarde de sábado, Lilian pegou um táxi e pediu que o motorista a conduzisse ao endereço informado pelo médico, na suposta clínica dele. O local era uma cobertura, na Barra da Tijuca. O filho dela acredita que a bancária se surpreendeu quando chegou ao lugar.

"Eu conheço a minha mãe, ela sempre foi muito correta e tinha medo dessas coisas. O médico, com certeza, a manipulou para que ela fizesse (o procedimento) no apartamento dele", diz.

Na cobertura de Furtado estava, além do médico, a mãe dele, a ex-médica Maria de Fátima. A mulher teve seu registro cassado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) do Rio de Janeiro em 2015, por divulgar a utilização de métodos com resultados não reconhecidos pela medicina. Fátima teria auxiliado nos procedimento de Lilian. No local também estavam a secretária e namorada de Furtado, Renata Fernandes, e a técnica em enfermagem Rosilane Pereira da Silva.

Lilian CalixtoDireito de imagemARQUIVO PESSOAL/FACEBOOK
Image captionFilho de Lilian suspeita que médico a tenha manipulado para convencê-la a fazer procedimento em seu apartamento na Barra

Lilian chegou ao prédio por volta das 17h. Ela pediu ao taxista que a levou que a esperasse por duas horas, período que estimava para concluir as intervenções. Conforme o enteado de Lilian, o motorista ficou em frente ao local até as 22h. "Ele ficou esperando e só saiu quando percebeu que a avistou no carro do médico. O taxista foi nossa peça-chave para descobrir as informações", conta o filho.

A bancária foi levada da cobertura de Furtado direto para o Hospital Barra D'Or. Ela chegou ao local por volta das 22h50. Câmeras do circuito interno de segurança da unidade de saúde mostram que o médico levou a paciente ao local junto com a mãe, a secretária Renata Fernandes e a técnica em enfermagem Rosilane Pereira.

"Ela chegou muito ruim e foi encaminhada para a sala vermelha. Os médicos entregaram os pertences dela, como roupas e joias, a ele [Furtado]. Depois, ele desapareceu", diz Alessandro Jamberci.

Conforme boletim médico do Hospital Barra D'Or, Lilian chegou à unidade de saúde com falta de ar, taquicardia e pele azulada. Ela estava consciente e relatou que havia aplicado cerca de 300 mililitros de PMMA nos glúteos. A bancária morreu às 1h12 de domingo.

Foragido

Após a morte da bancária, a Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva do médico e a prisão temporária de sua mãe. Os dois permanecem foragidos. Eles foram indiciados por homicídio doloso, junto com Renata Fernandes, que está presa, e Rosilane Pereira, cujo pedido de prisão não foi acolhido pela Justiça.

Para auxiliar na busca por Furtado e Maria de Fátima, a Polícia Civil do Rio de Janeiro tem oferecido recompensa de R$ 1 mil para quem passar informações sobre o seu paradeiro.

Segundo a delegada Adriana Belém, da 16ª Delegacia de Polícia do Rio, na Barra da Tijuca, Furtado tem uma ficha com sete anotações criminais, uma delas por homicídio, em 1997, quando tinha 24 anos. Entre os outros delitos estão porte ilegal de arma, crime contra a administração pública, resistência à prisão e violação de domicílio.

Dr Denis FurtadoDireito de imagemFACEBOOK
Image captionDepois da morte da bancária, Denis Furtado apagou o perfil que mantinha no Instagram, com mais de 600 mil seguidores

No ano passado, ele foi indiciado quatro vezes pela Polícia Civil do Distrito Federal por exercício ilegal da medicina e por crime contra o consumidor, e teve seu registro médico cassado pelo CRM-DF.

Nesta quarta-feira, os familiares de Lilian torciam para que o médico e a mãe dele fossem presos o mais breve possível. Na tarde desta quinta-feira, Dr. Bumbum e a mãe foram presos pela Polícia Civil do Rio.

"Eu tenho fé em Deus que esse médico vai pagar pelo que fez, para consolar a nossa família e também porque a Justiça tem que ser feita para que outras famílias não passem pelo mesmo sofrimento", afirma Victor Calixto.

O corpo de Lilian chegou a Cuiabá na tarde de terça-feira e foi velado por parentes e amigos. A bancária foi enterrada na manhã do dia seguinte em um cemitério da capital mato-grossense.

Familiares dela relataram à BBC News Brasil que planejam, posteriormente, entrar com uma ação judicial contra Furtado. "Mas por enquanto, estamos esfriando a cabeça depois de tudo o que aconteceu", diz o enteado da bancária.

* Esta reportagem foi atualizada às 19 horas desta quinta-feira.

bbcbrasil

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado