08/05/2018 às 17:06:00

RTRS certifica 53 mil hectares de soja sustentável em Mato Grosso

Redação


 

Um novo grupo de produtores de soja foi certificado por meio do projeto Gente que Produz e Preserva, promovido pelo Clube Amigos da Terra de Sorriso-MT (CAT). A iniciativa viabiliza a certificação da soja de maneira ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável, realizada por meio da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS).

As fazendas certificadas – dos municípios mato-grossenses de Sorriso, Nova Canaã do Norte, Nova Ubiratã e Ipiranga do Norte – certificaram 53 mil hectares, o que representa mais de 180 mil toneladas de soja. O CAT promoveu um evento para entregar os novos certificados e, na mesma ocasião, ocorreu a cerimônia de bonificação de um grupo de 16 produtores, que receberam cerca de 350 mil reais pela venda de créditos.

De acordo com o Consultor Externo da RTRS, Cid Sanches, o grupo de Sorriso-MT cresce a cada ano, pois os vizinhos conversam entre si e trocam conhecimento sobre os benefícios da certificação, principalmente em relação à gestão da propriedade. “Os produtores assumiram o compromisso de produzir e preservar. E esse é o intuito da RTRS, fazer com que a cada ano mais fazendas sejam certificadas, além de engajar produtores a terem responsabilidade social e ambiental”, conta.

 

Para a Presidente do CAT e produtora, Dudy Paiva, a certificação auxilia na organização da fazenda e na preservação ambiental. “Acredito que no futuro, todas as propriedades que desejarem se adequar as normas do mercado deverão se certificar. Os benefícios da certificação vão além do retorno financeiro da venda de créditos, pois nos permite realizar um diagnóstico e nos adequar em diversos aspectos”, observa.

A produtora Ledair Cella aponta que a decisão de participar da certificação foi para valorizar os produtos da fazenda e divulgar o trabalho sustentável que realizam. “Estamos seguindo normas de segurança em relação aos nossos colaboradores, dando oportunidade de aperfeiçoamento por meio de cursos para cada setor. Também valorizamos seus familiares, proporcionando uma vida digna de trabalho, estudo para os filhos e lazer”, ressalta.

Já a produtora Dulce Chiochetta participou do evento do CAT para conhecer a certificação RTRS, pois já realiza outras práticas sustentáveis em sua propriedade, localizada em Campo Novo do Parecis-MT. “Em nossa fazenda, buscamos há muito tempo fazer interações voltadas ao meio ambiente. Se tivermos uma certificação, será uma possibilidade para desmitificar a cultura que se colocou no Brasil, que o agricultor é desmatador e poluidor. É importante mostrar as ações que estão sendo feitas, principalmente em nosso estado. O Mato Grosso está na vanguarda de tudo isso e o Brasil se coloca no exterior como exemplo de sustentabilidade”, explica.

Sobre a RTRS

Fundada em 2006, a Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) é uma iniciativa internacional pioneira formada pelos principais representantes da cadeia de valor da soja, como produtores, indústria, comércio, finanças e a sociedade civil. Os atores dessas diferentes áreas se reúnem em torno de um objetivo comum, garantindo o diálogo e a tomada de decisão por consenso. A missão da entidade é promover o uso e o crescimento da produção sustentável de soja e, por meio do Padrão RTRS de Produção de Soja Responsável, aplicável mundialmente, garantir uma produção ambientalmente correta, socialmente adequada e economicamente viável. É hoje o sistema mais confiável e avançado do mercado de soja brasileiro para alcançar a sustentabilidade. Atualmente a RTRS conta com mais de 190 membros dos países do mundo inteiro. Os princípios e critérios da RTRS são considerados um padrão multipartes que garante o Desmatamento Zero na produção de soja responsável. www.responsiblesoy.org/pt.

--
Assessoria