09/09/2017 às 09:13:00

Janot pede prisão de Joesley Batista e mais dois; decisão será de Fachin

Redação

Por meio de ação cautelar, as prisões do empresário Joesley, um dos donos da JBS e o executivo da empresa Ricardo Saud e do ex-procurador da República, Ricardo Miller, foram pedidas ao STF (Supremo Tribunal Federal), pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, na sexta-feira (08). O pedido está sob sigilo, e de acordo com o G1, nem a PGR (Procuradoria-Geral da República), nem o STF confirmaram se o pedido foi enviado. A decisão será tomada pelo ministro Edson Fachin.

Caso Fachin autorize as prisões, o acordo de delação premiada entre a JBS e a PGR deixará de valer. No termo de delação estaria previsto que ele perde efeito caso o colaborador tenha mentido ou omitido, tenha sonegado ou destruído provas.

Caso a delação seja suspensa, as provas, depoimentos e documentos não perderão a validade. Esse seria o entendimento de pelo menos três ministros do Supremo, que a rescisão do acordo não anula as provas.

A PGR teria informado na segunda-feira (4) que os novos áudios entregues pelos delatores da JBS indicariam que o ex-procurador da República Marcello Miller teria atuado na “confecção de propostas de colaboração” do acordo que seria fechado entre os colaboradores e o MPF (Ministério Público Federal). A procuradoria suspeita ainda que os delatores tenham omitido informações.

Joesley e Ricardo falam nas novas gravações sobre a intenção de usar Miller para uma possível aproximação com Janot. O dono da JBS ainda teria admitido que encontrou com o ex-procurador em fevereiro deste ano, mas ele teria dito que pediu exoneração do MP.

midiamax

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado