11/04/2017 às 14:57:00

O poderoso impacto da globalização

Redação


 

Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

 

O agronegócio globalizou em tudo: na tecnologia, no capital, nas transações e relações, na logística e nos vários elos das cadeias produtivas. Produtoras e produtores são também globalizados. Hoje temos a digital farming e a big data do agronegócio no Brasil, inclusive com o primeiro grupo de jovens sendo formados para isso na Fundação Shunji Nishimura com a Fatec, na cidade de Pompeia, São Paulo.

Na França, foi realizado outro programa de MBA em Agribusiness e Food Management. Aconteceu pelo 3º ano consecutivo na Audencia Business School, na cidade de Nantes, comigo e com jovens do mundo todo, Gana, França, Colômbia, México, China, Singapura, Nigéria, Canadá e também brasileiros.

Quando olhamos para uma classe reunindo alunos do mundo inteiro, assistimos o poderoso impacto da globalização. Podemos presenciar que em todas as partes do mundo, apesar de suas diferenças religiosas, culturais e de especialidades agropecuárias e de agronegócio há uma gigantesca convergência para a gestão e compreensão da administração das cadeias de valor, seja de pequenos agricultores africanos ou de uma gigantesca cooperativa de trigo canadense, ou da espetacular sidra da maçã ou das algas na nutrição de animais versus os antibióticos da Bretanha Francesa.

Existe, ao olharmos um grupo tão diferente e cada vez mais parecido, um sentido global de capitalismo consciente, de uma agropecuária de precisão, de tecnologia e ao mesmo tempo, de sustentabilidade. Do natural, do orgânico do bio dinâmico, mas em um olhar de convergências e não de divergências.

Cooperativismo, ações de grandes companhias e jovens reunidos do mundo todo. Jovem brasileiro, fique de olho no Brasil. Pois para essas moças e moços estrangeiros, o nosso Brasil pode estar cheio de problemas e tem muita gente falando em ir viver na Flórida, mas tem também muita gente que nos admira e quer vir e ficar por aqui.

Jovens globalizados para um agronegócio globalizado, uma nova geração chegando direto da Audencia Business School, na cidade de Nantes, França.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel.

Assessoria

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado