16/12/2017 às 15:55:00

Trump cogita conceder indulto a ex-assessor que mentiu ao FBI sobre a Rússia

Redação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira não ter descartado assinar um indulto para seu ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn, uma das principais figuras na investigação sobre a possível ingerência do Kremlin nas eleições do ano passado.

Questionado sobre a questão minutos antes de assistir à cerimônia de graduação de agentes do FBI, o líder deixou aberta essa opção.

"Não quero falar ainda sobre perdão para Michael Flynn. Veremos o que acontece. Já veremos", ressaltou Trump.

O general Flynn, que é uma das pessoas acusadas no marco da investigação do promotor especial Robert Mueller, se declarou culpado em 1 de dezembro por ter mentido ao FBI sobre suas conversas com membros do Governo russo.

A promotoria especial apontou, além disso, que Flynn conversou sobre seus contatos com a Rússia com "importantes membros" da equipe de Trump e chegou, inclusive, a ligar para eles enquanto estavam no exclusivo clube do líder em Mar-a-Lago, no litoral sudeste da Flórida.

Esta afirmação, que põe a equipe do presidente em uma posição extremamente delicada, já foi confirmada pelo próprio Flynn durante seu comparecimento perante o juiz, com quem se comprometeu a colaborar em troca de uma possível redução da sua pena.

Não é a primeira vez que Trump insinua que poderia exercer seus privilégios como presidente para outorgar indultos a pessoas de seu entorno caso fossem condenadas pela Justiça.

Em julho, Trump chegou a defender seu "absoluto" poder de perdoar seus assessores, familiares e possivelmente inclusive a si mesmo perante as investigações sobre a ingerência russa, embora, por enquanto, não tenha sido preciso por não ter ocorrido nenhuma condenação fixada definitivamente. 

yahoo

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado