28/01/2017 às 18:30:00

Trump e Putin conversam sobre ações de Rússia e EUA contra Estado Islâmico

Além de Putin, o presidente americano já conversou neste sábado com os primeiros-ministros Angela Merkel (Alemanha) e Shinzo Abe (Japão).

Redação
O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reservou o sábado (28) para conversar por telefone com cinco líderes mundiais, com destaque para o chefe de estado russo, Vladimir Putin, e a premiê alemã, Angela Merkel. Trump falou com o premiê japonês, Shinzo Abe.
Vladimir Putin
Putin e Trump conversaram sobre ações coordenadas entre os dois países contra o Estado Islâmico na Síria. Eles também discutiram o programa nuclear iraniano, segundo a Reuters. Nesta sexta-feira (27), Trump manifestou seu desejo de trabalhar com Moscou, mas reconheceu que ainda é “muito cedo” para discutir a remoção das sanções que o ex-presidente dos EUA, Barack Obama, impôs ao país, segundo a CNN.
A conversa deste sábado foi considerada um primeiro passo para a reaproximação entre o Kremlin e a Casa Branca. A Rússia tem a expectativa de ver as sanções suspensas, mas governo americano procura não alimentar essas esperanças.
As últimas sanções contra a Rússia foram anunciadas por Barack Obama em dezembro por "sabotagem a processos e instituições eleitorais". Entre as medidas, estava a expulsão de 35 agentes de inteligência russos em Washington e San Francisco e o fechamento de dois complexos dos serviços de inteligência da Rússia em Nova York e Maryland.
"Há vontade de ambas as partes de trabalhar em comum, ativamente, para estabilizar e desenvolver a cooperação russo-americana sobre uma base construtiva, de igual para igual, e mutuamente vantajosa", destacou Putin em um comunicado, após a primeira conversa entre os dois chefes de Estado desde que o presidente americano assumiu a Presidência.
Angela Merkel
A conversa com Angela Merkel, que durou 45 minutos, “não foi a mais fácil do dia”, de acordo com a CNN. Em entrevista dada este mês ao britânico “The Times” e ao alemão “Bild”, Trump criticou a política de acolhida de refugiados do governo alemão.
Segundo a agência France Presse, os dois concordaram sobre a "fundamental importância" da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).
Em entrevista ao "Bild", Trump afirmou que a Aliança Atlântica é "muito importante", mas foi projetada há muito tempo e não prevê defesa contra o terrorismo. Por isso, ele chamou a Otan de "obsoleta". Disse ainda que muitos Estados não investem o necessário em defesa. "Devemos proteger esses países, mas muitos deles não pagam o que deveriam", ressaltou Trump.
Shinzo Abe
Mais cedo, Trump assegurou ao premiê japonês, Shinzo Abe, considerado um aliado chave na Ásia, que tem um "compromisso" dos Estados Unidos com a segurança japonesa. Trump e Abe também decidiram que "consultarão e cooperarão perante a ameaça representada pela Coreia do Norte", ressaltou a nota oficial da Casa Branca, citada pela agência Efe.
Durante a conversa, Trump convidou Abe para uma visita aos EUA, que ocorrerá no dia 10 de fevereiro.
François Hollande
No telefone para o presidente francês, François Hollande, Trump ouviu um apelo para que os EUA "respeitem" o princípio de aceitação a refugiados, segundo comunicado da Presidência francesa. O pedido é uma resposta da França à decisão do governo norte-americano, tomada nesta sexta-feira (27), de restringir a entrada de refugiados e imigrantes de sete países islâmicos (Iraque, Iêmen, Síria, Irã, Sudão, a Líbia e Somália).
O presidente francês "lembrou sua convicção de que a luta para a defesa das nossas democracias" só é eficaz se baseada no "respeito aos princípios que as fundamentam, em particular a acolhida aos refugiados". Além disso, o presidente francês "advertiu para as consequências econômicas e políticas de uma abordagem protecionista", como a adotada por Trump.
Malcolm Turnbull
Trump conversa ainda com o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull. As conversas de Trump com Abe e Turnbull acontecem dias depois de ele ter assinado uma ordem executiva para retirar os EUA da Parceria Transpacífico(TPP, na sigla em inglês). Tanto Abe como Turnbull tinham apoiado a TPP, segundo a CNN.

g1.com

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado