30/05/2017 às 17:12:00

Com apoio dos EUA, Paraguai apreende avião e cocaína do PCC na fronteira

Redação

A Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), órgão do governo paraguaio que atua no combate ao narcotráfico, iniciou uma grande operação para desmontar rotas usadas por traficantes brasileiros para trazer cocaína da Bolívia e, a partir da fronteira com Mato Grosso do Sul, enviar o entorpecente para as grandes cidades brasileiras.

Conforme a Senad, as investigações para desmontar a rota operada pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) começaram há 15 meses.

A operação conta com apoio das Forças Armadas do Paraguai, DEA (Departamento Antinarcóticos) dos Estados Unidos e da Polícia Federal brasileira.

O Campo Grande News apurou nesta terça-feira (30) com fontes ligadas à Senad que as buscas estão sendo feitas desde ontem em empresas, residências, aeroportos e propriedades rurais de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã, e Bella Vista Norte, na divisa com Bela Vista (MS).

No aeroporto de Pedro Juan Caballero foi apreendido um avião prefixo ZP-BCU, com documentação do Paraguai. Segundo a Senad, foram encontrados indícios de que a aeronave foi usada para transportar drogas.

Fardos de cocaína – Já em uma pista clandestina na zona rural de Bella Vista Norte os agentes da Senad encontraram 513 quilos de cocaína pura, dividida em fardos.

Os policiais paraguaios acreditam que o avião foi usado para trazer a droga da Bolívia. De Bella Vista, a cocaína boliviana seria escondida em veículos para ser enviada ao Brasil por estradas de Mato Grosso do Sul.

Traficantes que estavam com o avião e com a cocaína foram presos, mas a Senad ainda não divulgou detalhes de quantas prisões foram feitas e sobre a identidade dos criminosos, já que as buscas ainda estão em andamento.

Conforme a Secretaria Nacional Antidrogas, o objetivo é dar um golpe no centro de operações aéreas do PCC, que montou a maior estrutura de tráfico por ar já vista naquele país.

"A estrutura criminosa do PCC poderia operar 20 voos mensais e mandar pelo menos 500 quilos de cocaína da Bolívia para o Brasil e a Europa, todos os meses", afirmou a Senad.

valedoivinhemagora

Enquete

Mural de Recados

Postar Recado