17/09/2018 às 20:39:00

EUA anunciam tarifa de 10% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses

Redação


Cobrança de tarifas terá início em 24 de setembro; taxa aumentará para 25% no fim deste ano.

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (17) tarifas de 10% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses em uma nova rodada da guerra comercial envolvendo os dois países.

A cobrança de tarifas para importação terá início em 24 de setembro, e a taxa aumentará para 25% no fim de 2018.

Em comunicado, o presidente dos EUA, Donald Trump, advertiu que, se a China adotar medidas de retaliação contra os agricultores ou produtores indústrias dos EUA, "nós iremos imediatamente buscar a fase três, que é de aproximadamente US$ 267 bilhões de importações adicionais".

·         Guerra comercial: entenda a tensão entre EUA e outras potências

O anúncio ocorreu depois que as negociações entre as duas maiores economias do mundo para resolver suas diferenças comerciais não avançaram. Na semana passada, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, convidou altos funcionários chineses para uma nova rodada de negociações, mas até agora nada foi marcado.

Mais cedo, nesta segunda, o principal assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, já havia sinalizado o percentual de 10% para produtos chineses importados.

Trump considera que o déficit comercial dos EUA no comércio com a China, de US$ 376 bilhões anuais, é inaceitável e tem que ser redimensionado.

"Com sorte, este problema comercial será resolvido. Em último caso, por mim e pelo presidente da China, Xi Jinping, por quem tenho grande respeito e afeto", afirmou Trump em seu comunicado desta segunda-feira.

Uma ampla categoria de dispositivos conectados à internet de US$ 23 bilhões seguirá sujeita a tarifas, mas alguns produtos foram removidos da lista final. As novas tarifas deixaram de fora os relógios inteligentes da Apple e outros produtos como capacetes de bicicleta e cadeirinhas infantis para automóveis.

Também foram poupados das tarifas os insumos chineses para os produtos químicos produzidos nos EUA usados na manufatura, têxteis e agricultura.

A retirada desses produtos da lista, no entanto, não foi suficiente para conter a insatisfação de representantes dos setores de tecnologia e varejo. Na avaliação deles, a imposição de novas tarifas deve afetar duramente os consumidores.

"A decisão do presidente Trump de impor mais US$ 200 bilhões é imprudente e vai causar danos duradouros", disse o presidente do Conselho da Indústria de Tecnologia da Informação, Dean Garfield, para a agência Reuters. O conselho representa as principais empresas de tecnologia.

US$ 100 bilhões em guerra comercial

O governo dos Estados Unidos tem adotado uma série de medidas conta produtos chineses e de outras economias. Até agora, a administração Trump anunciou tarifas sobre US$ 50 bilhões de importações da China. Desse montante, US$ 34 bilhões estavam sobretaxados desde julho. Os outros US$ 16 bilhões começaram a ser sobretaxados em agosto.

 

As ações dos EUA tentam pressionar a China a fazer mudanças radicais na sua política comercial, na transferência de tecnologia e em subsídios industriais para o setor de alta tecnologia.

O governo chinês tem adotado represálias ao movimento dos EUA. Em agosto, Pequim também adotou tarifas de 25% para US$ 16 bilhões de produtos americanos.

Até o anúncio desta segunda-feira, a guerra comercial entre os dois países já alcançou US$ 100 bilhões em produtos.

 

g1